https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/issue/feed REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT 2024-02-07T13:16:02+00:00 Sidcley D'Sordi Alves Alegrini da Silva sidcleyalegrini@uern.br Open Journal Systems <p>A <strong>REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT</strong> é vinculada e publicada pelo Departamento de Turismo da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN (Campus Avançado de Natal) em parceria com a Rede Brasileira dos Observatórios de Turismo (RBOT), de periodicidade semestral e circulação nacional e internacional, disponibilizada em formato eletrônico. Destina-se à publicação de artigos cientí­ficos inéditos e interdisciplinares, artigos traduzidos, entrevistas, artigos técnicos e tecnológicos, resenhas de livros sobre temáticas em Turismo, Hotelaria, Economia, Administração, Geografia, Urbanismo e Patrimônio.</p> <p>O público-alvo da revista são profissionais e pesquisadores do turismo e das áreas afins, docentes, pesquisadores e a quem mais possa interessar. Os autores devem possuir titulação de Doutor, Mestre, especialista e/ou alunos de pós-graduação stricto sensu (mestrandos e doutorandos). No caso de alunos de pós-graduação lato sensu e alunos de graduação, ambos devem ser coautores<strong>. </strong></p> <p>A revista é de publicação gratuita, sendo toda a participação considerada voluntária, sem fins lucrativos. A revista aceitará textos nos idiomas português, inglês e espanhol.</p> <p>Nosso identificador digital <strong>ORCID</strong> (Open Researcher and Contributor ID) é: 0000-0002-4051-1265</p> https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5623 Editorial 2023-12-07T15:39:44+00:00 Sidcley D'sordi Alves Alegrini da Silva sidcleyalegrini@uern.br <p>editorial</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5624 Entrevista 2023-12-07T15:55:00+00:00 Márcia Raquel Cavalcante Guimarães opoturnatal@gmail.com Danielle Cardoso de Moura observaturms@fundtur.ms.gov.br <p>Entrevista com Danielle Cardoso de Moura</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5629 A IMPLEMENTAÇÃO DE CICLOVIAS: HISTÓRICO E DESAFIOS EM BOA VISTA/RR 2023-12-08T13:51:47+00:00 Jordana de Souza Cavalcante jordanacavalcante@usp.br Paulo Henrique Ferreira Lacerda paulolacerda@usp.br <p>As articulações entre política de transporte público e mobilidade urbana ciclável em sistemas locais, tornaram-se <br>desafios para a formulação de políticas urbanas de mobilidade em diferentes cidades. Nesse contexto, questionase: de que modo se constituiu a infraestrutura cicloviária, por meio de políticas públicas, em um destino turístico?<br>Para responder tal questionamento, o objetivo do estudo é compreender a evolução histórica da implantação de <br>ciclovias por meio de políticas públicas municipais de Boa Vista (RR). Para atingir tal objetivo, os procedimentos <br>de pesquisa dividiu-se em três partes: (1) Levantamento de dados bibliográficos a respeito de bicicleta e os <br>benefícios dela pelo no uso da ciclovia; (2) análise de documentos administrativos e normativos como leis, <br>programas e projetos desenvolvidos pelo município; e (3) análise qualitativa aplicando os estudos de Vale (2016), <br>que destaca três fatores que favorecem a utilização da bicicleta como meio de transporte, sob o ponto de vista das <br>características urbanísticas do território. A bicicleta como meio de transporte, apesar do seu impacto positivo na <br>qualidade de vida e melhoria da saúde dos usuários, como substituto recreativo, permitindo maior liberdade de <br>movimento, ainda carece de um melhor entendimento das especificidades sociais e infra estruturais das diferentes <br>regiões e cidades. O estudo constrói uma matriz histórica das políticas públicas que se destinaram a implementação <br>da malha cicloviária, aponta os desafios da rede e traz conclusões sobre a relação dela com o cicloturismo. Com <br>isso, o estudo foi realizado para compreender os desafios na história da implantação da ciclovia em Boa Vista, <br>capital do Estado de Roraima dentro do contexto brasileiro e local. Os resultados destacam uma perspectiva que<br>podem ajudar a moldar as políticas de investimento para a mobilidade, especialmente a mobilidade por bicicleta <br>nas ciclovias e sua importância das infraestruturas cicláveis nos percursos dos ciclistas e como está diretamente <br>relacionada com a infraestrutura fornecida pela cidade para promover e contribuis como o desenvolvimento do <br>cicloturismo e a mobilidade urbana nas cidades. Como indicação de pesquisas futuras, outras cidades e/ou destinos <br>turísticos podem ser estudados, a fim de buscar possíveis padrões na política de mobilidade ativa das cidades.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5630 GEOGRAFIA DA OFERTA HOTELEIRA BRASILEIRA: ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL EM ESCALA NACIONAL 2023-12-08T14:31:00+00:00 Mariana Magalhães Cavalcante opoturnatal@gmail.com Thais Bandinelli Vargas Lopes de Oliveira opoturnatal@gmail.com Mariana Bueno de Andrade-Matos opoturnatal@gmail.com Glauber Eduardo de Oliveira Santos opoturnatal@gmail.com <p>A hotelaria, como uma das atividades principais do turismo, desempenha papéis fundamentais na acomodação dos <br>turistas no destino, na geração de emprego e renda, e na produção do espaço geográfico. Os estabelecimentos <br>hoteleiros modificam a paisagem e as dinâmicas espaciais de forma marcante em muitos destinos e regiões <br>turísticas, embora também tenham influência sobre a geografia mesmo quando estão presentes em menor <br>concentração. Além disso, a localização dos hotéis registra, em grande medida, a espacialidade da atividade <br>turística. Desta forma, a compreensão da realidade espacial da hotelaria é fundamental para o planejamento e <br>gestão da atividade turística perante os desafios ambientais, sociais, econômicos e políticos. No entanto, são <br>escassos os estudos em escala nacional acerca da geografia da oferta hoteleira. A maioria das pesquisas brasileiras <br>na área atentam para realidades espaciais locais, ao passo em que a distribuição da oferta hoteleira no território <br>nacional tem sido pouco investigada. Considerando essa lacuna, o presente artigo tem como objetivo descrever a <br>distribuição espacial hotelaria no Brasil. Esse objetivo é atingido por meio da análise quantitativa baseada no <br>tratamento dos microdados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS, 2021) em nível municipal para todo <br>o país. As análises são baseadas sobretudo no número total de empregados da hotelaria e em uma versão adaptada <br>do Índice de Função Turística de Defert, descrevendo a razão entre o número de empregados nessa atividade e a <br>população de residentes em cada município. Além de gráficos e tabelas, as estatísticas são também apresentadas<br>na forma de mapas. Os resultados revelam a concentração da oferta hoteleira em algumas poucas regiões do <br>território brasileiro, sobretudo em áreas litorâneas e nas capitais estaduais</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5631 ANÁLISE DO POTENCIAL TURÍSTICO ÉTNICO-CRIATIVO NA COMUNIDADE INDÍGENA DO CATU DOS ELEOTÉRIOS 2023-12-08T14:54:17+00:00 Maria José dos Santos Pimentel opoturnatal@gmail.com Geyson Fernandes da Silva opoturnatal@gmail.com Márcio Marreiro das Chagas opoturnatal@gmail.com <p>O presente estudo busca analisar o potencial de desenvolvimento do turismo étnico-criativo da comunidade <br>indígena do Catu dos Eleotérios. O turismo criativo é caracterizado pela vivência turística, buscando a interação e <br>participação do visitante nas tarefas desenvolvidas pelos nativos da comunidade, simbólicas da cultura local, com <br>a co-criação dinâmica entre eles. Visando, o empoderamento sociocultural da localidade a fim de preservar a <br>identidade étnica. Para isto, foi realizado um estudo exploratório descritivo, com abordagem qualitativa. A amostra <br>foi não probabilística, por conveniência, em que a escolha dos indivíduos ocorreu através de alguns critérios. A <br>coleta de dados foi efetuada através de roteiros de entrevistas semiestruturadas. A análise dos dados foi realizada <br>por meio da análise de conteúdo. Dentre os resultados obtidos foi a identificação das atividades com potencial para <br>o desenvolvimento do turismo étnico-criativo, como possíveis produto turísticos foram analisados: a agricultura <br>familiar, gastronomia local, a trilha, oficina de pintura corporal, as plantas medicinais, ritual de toré, artesanato, <br>festas/eventos e oficina de pintura cultural. Ademais, essas atividades podem contribuir para a valorização social, <br>cultural e para as tradições com base étnica, que possam ser vivenciadas pelos turistas, como atividades/atrativos <br>que possibilitem o estímulo turístico na comunidade.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5632 APLICAÇÃO DA GAMIFICAÇÃO NO TURISMO PARA ESTIMULAR VIVÊNCIAS COM O PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL DE OURO PRETO, MINAS GERAIS 2023-12-08T15:07:53+00:00 Thalita Stephanie Teixeira thalita.stephanie@aluno.ufop.edu.br Jaine de Fátima Silva jaine.silva@aluno.ufop.edu.br Rodrigo Burkowski rodrigo@ufop.edu.br Solano de Souza Braga solanobraga@yahoo.com.br Lorena Trindade Gomes lorena.trindade@alu.ufop.edu.br <p>A gamificação pode ser entendida como aplicação de aspectos de jogos em outros ambientes, sendo <br>uma possibilidade de desenvolver a atividade turística. O presente estudo busca analisar a utilização de <br>um aplicativo como alternativa de desenvolvimento da região de Ouro Preto com vistas a potencializar <br>os benefícios econômicos por meio do turismo. Para isso, pretende-se levantar as tendências de <br>literatura sobre gamificação no turismo e sobre as noções sobre gamificação, identificar objetivos, <br>contextos e abordagens da gamificação no setor do turismo e analisar o potencial da gamificação para <br>a competitividade no turismo em Ouro Preto. É possível criar projetos de marketing turístico voltados <br>para a gamificação, contudo é necessário ir além dos conhecimentos sobre os fundamentos do <br>marketing, sendo imprescindível reconhecer sobre os fundamentos do jogo, e qual o papel da interação <br>dessa modalidade com o produto turístico, sobre como ocasionar o imaginário do jogador / turista. <br>Enquanto classificação metodológica, o estudo tem caráter qualitativo e exploratório pois busca a <br>familiaridade com determinado tema, sendo dividido nas seguintes etapas: levantamento das tendências <br>na literatura sobre gamificação no turismo; levantamento sobre as noções sobre gamificação; identificar <br>objetivos, contextos e abordagens da gamificação no setor do turismo; e analisar o potencial da <br>Rev.ReBOT,Natal/RN,v2,n2,p.55-69 Jul./Dez.2023<br>gamificação para a competitividade no turismo. Conclui-se que a gamificação em Ouro Preto pode <br>trazer benefícios ao turismo da região, tornando as experiências mais dinâmicas e criativas.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5633 AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO DERRAME DE ÓLEO NO TURISMO NO LITORAL DE NÍSIA FLORESTA/RN 2023-12-08T15:22:15+00:00 Francielen Letice de Souza Silva fran_letice@hotmail.com Adriana Israel de Almeida Pereira adriana@cemam.org Michele Galdino Câmara Signoretti michelecamara@uern.br Marília Medeiros Soares Mariliamedeiros@uern.br Flávio José de Lima Silva flaviogolfinho@yahoo.com.br <p>Em 2019 todo o litoral do Nordeste e parte do Sudeste brasileiro foram atingidos por um grande derrame de óleo, <br>constituindo-se em um dos maiores desastres socioambientais do país. O Rio Grande do Norte foi um dos estados <br>com maior impacto devido à grande quantidade de localidades atingidas. Este desastre repercutiu na contaminação <br>de ambientes costeiros e marinhos, assim como na elevada mortalidade de animais e paralisação de atividades <br>como o turismo e pesca, repercutindo em graves impactos para as comunidades que vivem e dependem do litoral. <br>O presente estudo teve como objetivo geral caracterizar os impactos sociais e econômicos do derrame de óleo no <br>turismo, no litoral do município de Nísia Floresta - Rio Grande do Norte. Para tanto, foram realizadas entrevistas <br>com gestores de empresas nas praias atingidas do município, abordando questões sobre redução do funcionamento <br>das atividades, interrupção do faturamento e alteração da imagem dos negócios locais. O estudo evidenciou os <br>Rev.ReBOT,Natal/RN,v2,n2,p.70-87 Jul./Dez.2023<br>impactos sociais e econômicos que impactaram empreendimentosturísticos, dentre estes a redução de faturamento, <br>alterações nos produtos ofertados e diminuição do fluxo turístico, demonstrando assim a vulnerabilidade destes <br>destinos no que se refere a desastres ambientais como este.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5634 ANÁLISE DAS CAPACIDADES DINÂMICAS NAS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DO SETOR DE TURISMO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2023-12-08T15:30:56+00:00 Antônio Pedro da Costa e Silva Lima1 lima.antoniopedro@gmail.com <p>Devido à pandemia da Covid 19 e ao processo de transformações tecnológicas que já vinham ocorrendo de forma <br>acelerada, o ambiente de negócios mundial tornou-se ainda mais complexo, exigindo uma série de adaptações por <br>parte das empresas. Nesse contexto, a acumulação de capacidades dinâmicas emergiu como um tema central, <br>constituindo proxies para a resiliência nas empresas. As capacidades dinâmicas afetam positivamente a vantagem <br>competitiva das empresas, pois fomentam a habilidade das empresas de identificarem e explorarem oportunidades <br>de mercado, conferindo maior flexibilidade e adaptabilidade para reorganizarem seus recursos internos com vistas <br>a responderem às exigências externas deste contexto em transformação. As MPMEs são mais vulneráveis em <br>períodos de incerteza, devido aos baixos níveis de preparação, às restrições de recursos, posições fracas de mercado <br>e maior dependência do governo e de agências locais. Este estudo tem como objetivo averiguar se as MPMEs do <br>setor de turismo do Rio Grande do Sul possuem capacidades dinâmicas. Para isso, foi realizado um estudo com <br>MPMEs do setor de turismo do Rio Grande do Sul, por meio da aplicação de um survey estruturado em três blocos <br>(perfil da empresa e dos participantes do survey, microfundamentos das capacidades, processo de adaptabilidade <br>e resiliência das empresas) com 95 empresas do Estado dos segmentos de alojamento, alimentação, agências de <br>viagens, entretenimento e outros segmentos turísticos. Os resultados da pesquisa apontam que, a partir do survey<br>aplicado, que teve como resultado a estruturação de indicadores com base em atividades relacionadas ao sensing, <br>seizing e reconfiguring, pode-se afirmar que as MPMEs não realizaram, de forma expressiva, atividades <br>relacionadas ao sensing e ao seizing. As MPMEs do setor de turismo ainda não trabalham o conceito de rede, isto <br>é, de colaboração com universidades, centros de pesquisa, startups e outras empresas para colher informações e <br>concretizar as atividades vinculadas ao sensing.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5635 EM BUSCA DO PERFIL DO VISITANTE DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE CAMPOS DO JORDÃO (SP) 2023-12-08T15:42:59+00:00 Bruna de Castro Mendes brunamendes@ifsp.edu.br Valéria Luiza Pereira Fedrizzi valeria.fedrizzi@ifsp.edu.br Luciano Wanderley Mano Sanches luciano.sanches@ifsp.edu.br <p>Diante das mudanças constantes que a atividade turística foi sofrendo ao longo dos anos, na Estância <br>Turística de Campos do Jordão (SP-Brasil), percebeu-se a necessidade caracterizar o perfil do seu visitante. <br>Assim, a presente pesquisa foi um estudo de caso, exploratório-descritivo, baseado na relevância da <br>atividade turística tendo como pilares, o deslocamento, meios de transporte, permanência e utilização dos <br>equipamentos e ou atrativos turísticos e satisfação. Reformulou-se um questionário já utilizado em 2017, <br>ao Roteiro Básico de Pesquisa para o Estudo da Demanda, utilizado pela Secretaria de Turismo do Estado <br>de São Paulo, totalizando 18 perguntas do tipo fechadas, sendo aplicado pelo corpo discente do curso de <br>Tecnologia em Gestão de Turismo, do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo, <br>na região turística denominada Capivari, totalizando 120 respondentes. A busca por dados sobre o turismo <br>local é uma das principais ações para se auxiliar no processo de organização e planejamento da atividade <br>turística, nessa perspectiva, apesar de ser uma pesquisa com dados preliminares, em sua segunda etapa, <br>espera-se que a cada nova aplicação, informações surjam de modo a contribuir com o turismo local, assim <br>como uma maior articulação entre os atores locais, deixando de ser uma ação isolada.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5636 INFLUENCIADORES DIGITAIS GASTRONÔMICOS E O MARKETING DE INFLUÊNCIA 2023-12-08T15:56:51+00:00 Fernanda de Freitas Pepe opoturnatal@gmail.com Raquel da Fonseca Holz opoturnatal@gmail.com Pedro Mascarenhas de Souza Pinheiro opoturnatal@gmail.com <p>O marketing de influência tem sido utilizado por influenciadores digitais em diferentes áreas, incluindo a <br>gastronomia. Em Pelotas, maior município da região sul do Rio Grande do Sul, influenciadoras digitais têm <br>realizado parcerias com espaços de alimentação para atrair um público para consumo nestes locais. Este <br>estudo foi realizado para analisar como o marketing de influência atua no ramo da alimentação pelotense, <br>através de entrevistas com influenciadoras digitais e questionários com clientes destes espaços. Observouse que há uma preocupação por parte das influenciadoras com a organicidade do conteúdo e a qualidade do <br>produto envolvido. No entanto, os consumidores, mesmo acompanhando o trabalho destas influenciadoras, <br>consomem nos restaurantes, mas não utilizam os cupons de desconto ou anunciam que foram ao restaurante <br>através do trabalho destes profissionais. Conclui-se que há métricas, tanto para influenciadores quanto para <br>os restaurantes analisarem os impactos destas parcerias e que ainda há, por parte dos consumidores, uma <br>relutância em se apropriar desta forma de comunicação, sendo a qualidade do atendimento no local o maior <br>fator de retorno. O estudo sugere que esta forma de marketing pode ser replicada em outras localidades e <br>que uma avaliação com empreendedores do ramo da gastronomia sobre o impacto do uso de influenciadores <br>gastronômicos como forma de divulgação de seus produtos pode ser realizada como pesquisa futura.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5637 INOVAÇÃO E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: RELAÇÃO EMPRESAS E CURSOS DE GRADUAÇÃO DE TURISMO DE CURITIBA (PR) 2023-12-08T16:15:47+00:00 Brendha Stacy Rangel brendhastacy@ufpr.br Stella Antoniazzi Gardolinski stella.antoniazzig@gmail.com Carlos Eduardo Silveira caesilveira@ufpr.br Juliana Medaglia julianamedaglia@gmail.com <p>O turismo vem se adaptando às mudanças provocadas pela tecnologia e inovação. Assim, é importante entender <br>como essas transformações se convertem em conteúdo dentro dos cursos superiores de turismo e como afetam as <br>empresas turísticas. O estudo tem como objetivo identificar se existe uma lacuna no ensino da tecnologia, e como <br>afetaria os setores de inovação e tecnologia nas empresas turísticas de Curitiba. Metodologicamente foram <br>utilizadas pesquisas bibliográficas, documentais e questionários. Como principais resultados da academia foram <br>identificadas catorze universidades com cursos de graduação em turismo no Paraná, e apenas nove ofertando <br>disciplinas relacionadas às TICs. Percebeu-se que há cursos de turismo que não ofertam conteúdos voltados à <br>tecnologia na qual o mercado necessita para suas atividades, o que reflete no modo como a inovação dentro das <br>empresas é trabalhada.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT https://periodicos.apps.uern.br/index.php/ReBOT/article/view/5638 INDICADORES TURÍSTICOS DE SÃO LUÍS (MARANHÃO, BRASIL): PRIMEIRO SEMESTRE DE 2023 2023-12-08T16:24:39+00:00 Saulo Ribeiro dos Santos opoturnatal@gmail.com Angela Roberta Lucas Leite opoturnatal@gmail.com Ingrid Thais de Ribamar Amaral opoturnatal@gmail.com João Paulo da Conceição Marques opoturnatal@gmail.com <p>Busca-se apresentar informações sobre os principais indicadores relativos ao monitoramento turístico de São Luís, nos <br>meses do primeiro semestre de 2023. Empregou-se a abordagem quantitativa na pesquisa exploratória, documental, <br>utilizando-se infográficos produzidos pelo Observatório de Turismo da Cidade de São Luís do Maranhão. Os <br>indicadores de análise foram agrupados em: meios de hospedagem, o fluxo de passageiros e empregos. Os resultados <br>demonstraram o quão é importante o monitoramento desses dados para o desenvolvimento da atividade turística de <br>uma localidade, além da necessidade de se dar continuidade a tais pesquisas para acompanhar a dinâmica produtiva <br>que circula e canalizá-la de forma consciente por meio de políticas públicas.</p> 2023-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 REVISTA BRASILEIRA DOS OBSERVATÓRIOS DE TURISMO - ReBOT