ENTRE AEROGERADORES E VULNERABILIDADE SOCIAL: O CASO DA REGIÃO DO MATO GRANDE, RIO GRANDE DO NORTE

Autores

  • Rafael Aguiar da Silva UFRN
  • Francisco Fransualdo de Azevedo Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Energia eólica; vulnerabilidade social; Mato Grande.

Resumo

O crescimento da atividade eólica no território do Rio Grande do Norte é expressiva na dinâmica espacial e na paisagem de algumas regiões potiguares, entre elas o Mato Grande. Essa região apresenta significativa concentração de empreendimentos eólicos em operação comercial e em construção, juntamente com um quadro de vulnerabilidade social e desigualdades territoriais. Assim, o presente artigo busca discutir a relação entre os usos territoriais oriundos do setor eólico na vulnerabilidade social presente na região do Mato Grande. A metodologia adotada denota a pesquisa uma natureza quali quantitativa, sendo as fases operacionais do estudo estruturadas em três vertentes: pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e o estudo de campo. A partir disso, é expressiva a baixa influência da atividade eólica na promoção de ativos sociais nas comunidades rurais da região do Mato Grande, em particular nos ativos renda e trabalho, que são as principais demandas dos moradores locais. Também foi notória a falta de impacto das ações mitigadoras realizadas pelas empresas do ramo eólico, com atuação limitada a ações educativas em escolas e pequenas reformas em espaços coletivos. À vista disso, a atividade eólica continua em expansão em território socialmente vulnerável, com baixo impacto na diminuição da vulnerabilidade local e no atendimento das demandas socioeconômicas dos territórios afetados diretamente pela geração de energia eólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01-03-2024

Como Citar

AGUIAR DA SILVA, R.; DE AZEVEDO, F. F. ENTRE AEROGERADORES E VULNERABILIDADE SOCIAL: O CASO DA REGIÃO DO MATO GRANDE, RIO GRANDE DO NORTE . Revista GeoInterações, [S. l.], v. 8, n. 1, 2024. Disponível em: https://periodicos.apps.uern.br/index.php/RGI/article/view/5683. Acesso em: 13 jul. 2024.